quinta-feira, 31 de julho de 2014

Veja



Achei esse vídeo por acaso, e resolvi trazer para cá porque achei muito interessante como me peguei fascinada pela bunda da mulher (!)...quero dizer, o vídeo mostra uma história nos dando apenas esse ponto de vista.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Livro: Garota, traduzida



Sinopse: Quando Kimberly Chang e sua mãe, emigrantes de Hong Kong, se estabelecem numa área pobre do Brooklyn, tem início uma árdua dupla jornada para a menina de 11 anos. De dia, ela luta na escola contra o seu quase total desconhecimento do inglês, superando o preconceito do professor e revelando-se uma aluna determinada em aprender. À noite, ao lado da mãe, trabalha duro numa fábrica de tecidos, desafiando a incredulidade de colegas de escola, confiantes de que "trabalho infantil não existe nos Estados Unidos". Dia após dia, Kimberly lida em silêncio com verdades dolorosas e uma vida de privações. Num apartamento imundo, frio e infestado de ratos, a menina encara um futuro incerto, cujo peso recai sobre seus ombros, em função da deterioração da saúde de sua mãe. Kimberly ainda nutre um amor secreto por um menino que trabalha na casa de máquinas da fábrica na qual trabalha. Sua imaginação, criatividade e capacidade de amar são suas únicas armas para encontrar algum conforto e perspectivas. O livro Garota, traduzida é uma história inspirada na vida da autora, que saiu muito jovem de Hong Kong para viver nos Estados Unidos, mas fala também sobre a trajetória de milhares de imigrantes, capturados entre a pressão para vencerem no Primeiro Mundo, suas obrigações para com a família e seus sonhos particulares. (retirado do site da Saraiva)

Bom, por essa baita sinopse, acho que já dá para se apaixonar o suficiente pelo livro. Pelo menos, aos que procuram por uma leitura leve, envolvente, mas com uma história mais elabora e pensada do que a maioria dos infanto-juvenis que há por aí. Na verdade, confesso que o que primeiro me chamou atenção foi o titulo do livro mesmo, porque estou trabalhando com traduções, no momento...Então, pela curiosidade, resolvi levá-lo para casa. E não me arrependo nem um pouco. A leitura é maravilhosa. A escrita é maravilhosa! Daquelas que quanto mais a gente lê, mais quer saber o que vai acontecer na página seguinte. 

Kim, como é chamada no livro, tem a pele parda, cabelos lisos, olhos puxados... e chama a atenção dos colegas brancos e negros da sua turma por ser diferente. Além de saber muito pouco inglês, teve que enfrentar o preconceito não só dos colegas como de professores. Além disso, ela e sua mãe tiveram que lutar contra o preconceito e inveja de sua própria família — tia de Kim, que invejava sua mãe. Mas ela é uma menina forte e determinada. Lutou para superar todos os problemas que lhe apareciam. Jurou ajudar a mãe com o que podia, chegando a sacrificar seu próprio corpo para isso com trabalho escravo. Mas quando a pessoa é realmente bem intencionada, busca sempre o bem, boas coisas acontecem. Além de ter tido a sorte de ter uma mente inteligente, o que lhe ajudou e muito para conseguir a superar todas as barreiras que lhe surgiam, ela conquistou amigos verdadeiros que a ajudaram por muitos momentos. Em suma, essa é uma história de superação, com pitadas de romance — afinal, vemos uma menina pobre crescer, superar dificuldades, passar pela puberdade, e chegar onde chegou.

Não quero entregar o ouro, apenas dizer que vale a pena investir nesse livro, porque, além da boa história, ele nos traz uma boa visão sobre as dificuldades que imigrantes podem passar num país que não fala a sua língua, além de trazer ensinamentos riquíssimos sobre a cultura chinesa. Alguns que me deixaram bastante encantada, inclusive. Como o fato de que nas escolas chinesas, os alunos se levantam de sua mesa quando o professor fala com você, e que os alunos são obrigados a limpar a sala de aula depois das aulas... Isso desenvolve o senso de responsabilidade e respeito pelo patrimônio. Mas nos EUA, e acredito que menos ainda aqui no Brasil, haja alguma escola que faça isso... Vale muito a pena mesmo! Olha, acho que sem exageros, esse vai para a minha curta lista de livros favoritos (que, contando com esse, há apenas 4). :)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...