domingo, 31 de março de 2013

A arte de Ben Heine



Vocês provavelmente já viram alguma dessas imagens por aí. Elas pertencem ao artista gráfico Ben Heine, que mistura a fantasia com a realidade, em seus desenhos e fotografias. 

Naruto episódio 306




Me mordam se quiserem, mas depois desse episódio não há como negar o NejixHina do Kishimoto, né!?
Falando nisso, a Léty Hyuuga, do blog Problemática, escreveu um post muito bacana, fazendo uma análise do casal! Recomendo para quem curte. :) Mas voltando a esse episódio, geralmente não gosto de fillers, dificilmente fazem um que agrade, mas quando são curtinhos, explicando mais alguma coisa sobre o passado das personagens, até que vem a calhar. Acredito que esse episódio não esteja nos mangás, o que é um bônus para o anime.

sábado, 30 de março de 2013

Passeio de sábado



Esse sábado fomos à Nova Petrópolis, damos uma volta em Gramado, e depois paramos em Canela. Há um parque lá chamado Caracol, com uma bela cachoeira, indicação de um colega da faculdade. Então, resolvemos ver o lugar. Para chegarmos à cachoeira, no entanto, foi preciso descer algo em torno de 731 degraus, equivalente a um prédio de 30 e poucos andares. Descer foi moleza, mas subir...PQP! Já chegamos lá de pernas bambas — e vejam que irônico, eles chamam a escadaria de "escadas das pernas bambas"! Muito apropriado. Enfim, eram dez degraus subidos, e mais 10 minutos de descanso. Descemos em 12 minutos, e subimos em 40. T__T Mas valeu a pena, o lugar é simplesmente lindo! Trouxe algumas fotos para vocês verem! :)

sexta-feira, 29 de março de 2013

quinta-feira, 28 de março de 2013

Anime: zettai karen children the unlimited - hyoubu kyousuke



Meu Namorado Imaginário

 [Texto do livro "O homem ideal e outras conversas". Ed. Talon Rouge, R$19,90.]


Meu namorado imaginário tem mais ou menos a mesma idade que eu, não fuma, gosta de filosofia (pode não entender nada, mas tem que achar lindo!rs), não tem história mal-resolvida com ninguém, gosta de cinema, domingo em casa, passeio no parque, e é absolutamente encantado pela beleza das coisas pequenas.... um cheiro, um beijo, um carinho, um jasmim. Sem motivos. A gente tem um cachorro (que pode morar na casa dele, já que meu apartamento é MUITO pequeno), planos compartilhados de visitar o Oriente, plantar flores num jardim e passar férias longas em um país estrangeiro. Desses bem esquisito. A gente se entende pelo olho, pele, saliva, coração. Nosso tesão começa é na alma. Só que explode.

Meu namorado imaginário tem o sorriso mais bonito do planeta terra. E quando sorri de cantinho (disfarçando pra eu não ver que ele não gostou do meu sapato cor de melancia), eu finjo que fico brava mas na verdade eu acho lindo. E ele me abraça de um jeito que me faz sentir mais perto de Deus. E a gente se encontra naquele intervalo entre as coisas que são ditas e as coisas que as palavras não alcançam... e se transubstancia... em galáxias, cores, cometas, estrelas, incandescências... tudo ao mesmo tempo.... (imanências).

Meu namorado imaginário, às vezes vai comprar pão quentinho de manhã bem cedo, mas às vezes fica na cama ronronando feito um gatinho, cheio de manha, até tarde enquanto pede mais um dengo emburrado. E a gente se embola num aconchego gostoso de quem esqueceu que segunda é dia de trabalho... e as histórias de domingo estampam sorrisos mudos que nos escorrem pelos olhos. E a gente chora sem lágrimas. E se sente meio como numa história de cinema. Francês.

Meu namorado imaginário apóia meus sonhos, mesmo que não concorde com eles. É um homem que admiro muito mais do que consigo expressar com palavras. Tem manias tão irritantes quanto lindas que nos rendem as mais inusitadas histórias. Como ter medo de escuro ou não lavar a camisa em dia de jogo contra o Palmeiras. Ele me ensina a ser uma pessoa melhor. E me entende quando eu não consigo. Porque ninguém consegue às vezes. Nem ele.

Com meu namorado imaginário cada dia é um mergulho. E eu não preciso ter medo, porque nosso desejo é enternecer nosso universo. De um jeito que a gente não entende, mas que vibra e de repente faz tudo parecer que tem sentido. E a gente entende, como naquele texto da Marla, que encontramos leveza nas emoções que nos transbordaram porque estávamos prontos... e escrevemos um dicionário de palavras distraídas. Adentramos no corpo de um poema recente, ainda disforme e falamos de amor usando a metáfora mais inocente... E então agradecemos profundamente por esta outra pessoa inteira, que jamais será uma metade e que, para a soma, com todas as alternativas que teve, preferiu seguir... "ti a mim, me a ti, e tanto"...

Quando? Onde? Quem? Eu não sei. Mas talvez, como numa metáfora de cinema, o mais importante seja mesmo a jornada e não a meta... Um dia a gente se encontra e ele me reconhece. Tenho fé em Deus.

Filmes na vida real



quarta-feira, 27 de março de 2013

decorando teclado


Falando em coisa fofa...

Olha quanta ternura! *__*

Anime: Yama no Susume



Sinopse: Aoi prefere hobbies internos e tem medo de altura, mas sua amiga de infância, Hinata, adora mostrar sua paixão por escalar montanhas. Quando crianças, uma vez elas assistiram o nascer do sol no topo de uma montanha e agora decidiram voltar a escalar, esperando poder ver aquele nascer do sol de novo. Elas travam batalhas culinárias com equipamento de montanhismo, escalam pequenas colinas em seu bairro e conhecem novos amigos de montanhismo enquanto aprendem as superar as dificuldades do hobby.

Então, o anime é baseado no mangá de Shiro, com essa história que gira em torno dessas duas amigas de infância: Aoi, uma menina caseira que tem medo de altura; e Hinata, uma garota que adora montanhas. As duas, juntas, resolvem escalar uma montanha para poder voltarem a ver o tal do sol nascer.
Os episódios contém em torno de 3 a 4 minutos, e são 12, ao total. Sinceramente, não sei bem qual é o intuito deles, se mostrar as vantagens de superar um medo ao lado de amigos, como no caso da Aoi, ou se eles apenas queriam exibir mais um ponto turístico japonês, não muito explorado em animes. De qualquer forma, eu assisti a todos, porque gostei da atmosfera calma, tranquila, que ele nos passa. Além disso, a arte é muito bacana. Sempre usando tons pastéis (com exceção das folhagens), e as personagens todas tem essa aparência Kawaii (fofa)! *_* Não acho que foi perda de tempo, porque além das belas paisagens, aprendi também um pouco sobre torradas inglesas e risotos! iuahuaihaui 


















Domingo passado



Essas são as fotos do Domingo passado, que acabei me esquecendo de passar para o computador. :) Estava super nublado, mas rendeu algumas fotos boas. O lugar é o mesmo, do Domingo anterior, no bairro Assunção, onde em dias de sol podemos apreciar o belo pôr do sol na orla do Gaíba.. :)






terça-feira, 26 de março de 2013

Desconecte-se para se conectar









Esse vídeo foi mostrado pela minha professora de psicologia, em sala de aula. Ele é muito interessante, porque mostra bem o quanto a tecnologia tem interferido na nossa vida, atualmente, de um modo que nem percebemos. Quando estamos usando algum aparelho, de repente, parece que estamos dentro de uma redoma, e todo o resto do mundo que está a nossa volta passa despercebido. 

Ele é curtinho, tem um minuto e pouco. Vale a pena ver. :)

Fazendo arte com a filha



Usando sua fofíssima filha, o pai e fotógrafo Bill Gekas recria várias obras icônicas da cultura mundial. Desde o lado mais pop, até obras artísticas de grandes nomes da pintura mundial, como Caravaggio, Vermeer, Rembrandt, Raphael, Velazquez e outros. Vale a pena visitar o site dele! :) Eu tentei procurar as obras inspiradoras, para colocar aqui para vocês fazerem as comparações, mas só consegui encontrar uma. Graças as aulas de história da arte que tive na faculdade, eu mais ou menos identifico elas de cabeça, mas realmente não lembro qual é exatamente qual... :/ Enfim, de qualquer forma, isoladamente, elas não deixam de ter seu encanto, né? A guria é muito fofa. :)








Steve Jobs em mangá



É isso mesmo, vocês não leram errado! A vida do Steve Jobs parece que foi tãao incrível (not!), a ponto de desenvolverem um mangá a respeito do cara. O primeiro capítulo foi publicado na revista japonesa Kiss, e a editora já liberou algumas imagens online para aqueles que querem ver como ficou. Segundo relatos, o mangá é baseado na biografia de Jobs de Walter Isaacson.  Vocês podem vê-lo aqui. O único probleminha, é que está todo em japonês. 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...