quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Pintura com os dedos



































Essa moça se chama Judith Braun, e é de Nova York. Ela teve a ideia genial de fazer arte com os dedos, transformando uma brincadeira de criança, em trabalho de adulto! No site portifólio dela, há mais trabalhos. Vale muito a pena conferir. ;)

Red Garden

Comprei semana passada mais esse mangá que, segundo a própria capa, diz que são apenas 4 edições. T__T  A capa é linda, maravilhosa, os traços do mangáka são incríveis. 

Nessa edição, temos a personagem Kate, uma estudante de ensino médio que faz parte de um grupo seleto de meninas prodígios da escola, a Grace. Ela acorda num dia, se sentindo meio estranha, e percebe que as lembranças da noite passada foram apagadas de sua memória. E esse fenômeno acontece com mais três colegas dela. Enquanto isso, a escola recebe a noticia da morte de uma estudante, a melhor amiga de Kate. E, então, um estranho casal aparecem na trama, para fazer uma grande revelação às quatro meninas.

Eu gostei bastante dessa primeira edição. :3 A série está sendo editada pela NewPop, espero que não demorem muito com as outras edições.




terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Gantz


Gantz é um dos mangás mais afudês que eu já li! Sério! Eu ri, chorei, fiquei tensa, com raiva, nervosa... senti tudo lendo esse mangá. Até à 25º edição que eu li. T__T Eu já tinha ouvido falar no filme, e fiquei louca pra ver. E fiquei ainda mais louca quando vi que o Ken'ichi Matsuyama fazia parte do elenco *O*. Já vi vários filmes com ele, inclusive o seriado Sexy Voice e Robo (muuuuuuuito hilário). AMO as produções japonesas...preciso voltar a vê-las. T__T

Bom, ainda não vi o filme (já estou providenciando isso), e meu queixo quase foi ao chão quando descobri que já saiu até o segundo filme. Mas resolvi postar logo esses posteres por que são MUUUUITO bons, principalmente essa imagem de cima (pertencem ao segundo filme). T_T

Para quem não conhece Gantz, na trama, dois amigos são mortos em uma tentativa de salvar um mendigo que caiu nos trilhos do metrô de Tóquio. E aí, ao invés irem para o céu ou inferno, eles se encontram em uma pequena sala, rodeados por pessoas desconhecidas e com uma estranha esfera negra que disponibiliza armas, uniformes e uma missão em comum: exterminar aliens e demônios. Pode parecer meio "fora da casinha", mas acho que esse é o encanto da história T_T... E aí, a cada missão cumprida, os sobreviventes recebem uma pontuação – se atingirem os 100 pontos, podem escolher, entre algumas opções, a de voltar a vida.

Nisso, muitas coisas acontecem. Eles armam planos uns contra os outros, alguns se acovardam por medo, e outros descobrem quem realmente são: assassinos. E como eu disse, a história tem de tudo, drama, romance, ação, comédia... Quando comecei, só parei quando meu dinheiro acabou para eu comprar mais edições T_T.

#Aceito presentes de natal atrasado! T_T



segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Toy Story com brinquedos de verdade



O que a falta do que fazer não faz com as pessoas? T__T Dois desocupados, Jonason Pauley e Jesse Perrotta, tiveram a ideia genial de recriar TODO o filme, com brinquedos de verdade. Eles usam alguns recursos de edição de imagem e vídeo em algumas cenas, mas 90% foi gravado em real time. E segundo o Gizmodo, os dois ainda tiveram a autorização da Pixar (produtora do filme original) para divulgarem o filme. Ficou muito bacana! :)

Primeiras impressões do The Vampire Diaries



Uma das minhas metas para esse ano era ver algumas séries que eu tinha curiosidade, e comecei vendo o TVD no Netflix. Eu já imaginava, mais ou menos, o que seria, e realmente não superou muito minhas expectativas. Moça humana que se apaixona por um vampiro...Só que aqui temos dois. Bom eu acabei de ver a primeira temporada, apenas. Comecei na segunda, e terminei ontem. 

Bom, não preciso comentar que todos os atores são bonitões, embora fora da realidade. Quero dizer..."realidade". Com exceção da Bonnie. Não que eu não a ache bonita, mas gostei do fato de ela ter aquele probleminha na boca... Convenhamos, é impossível não perceber que ela tem a mordida torta... Achei isso legal porque me parece que naquela escola só estuda gente bonita e perfeita! Já perceberam como todos os homens são gostosos? Bem que eu queria ter estudado numa escola assim! ¬¬

Mas enfim, achei muito tosco o fato da Elena já ficar com o Stefen logo no segundo episódio! Nem em Crepúsculo, com todos os defeitos que sabemos que tem, a mocinha ficou com o vampiro logo de cara... -.- Mas continuei vendo por que me apaixonei pelo Stefen. Fiquei morrendo de pena do cara, completamente incompreendido pelo irmão egoísta. Mas era bonito ver a forma como ele defendia o Damon, apesar de todo o ódio que o outro guardava dele.

E me surpreendi, mais ou menos, quando vi que eles voltavam ao passado, a quando tudo começou. Adoro histórias de épocas, e adoro ver aqueles vestidos maravilhosos, aqueles casarões antigos e rebuscados... É tudo muito lindo. Mas acho que a série (lembrando que não li uma página sequer dos livros) poderia ter se puxado mais nisso, e ter investido melhor nessas cenas. Algumas coisas ficaram meio a desejar com a simplicidade que mostraram tudo. Eles poderia tem investido mais na fotografia das cenas, porque os cenários, da maioria das cenas, eram de tirar o fôlego. E o que é aquele casarão maravilhoso em que os irmãos moram???? T_T

Também gostei da avó da Bonnie. Fiquei com pé atrás quando ela faleceu. Ela fazia um belo par com a neta. Aliás, amei aquela cena em que a Bonnie mostra pra Elena que consegue fazer as penas do travesseiro levitar. *_*

Outro personagem que gostei bastante foi do Matt, o ex da Elena. Não sei o nome do ator, mas ele é muito fofo. Não foi muito convincente em MUITAS cenas, mas comecei a tomar mais gosto pela personagem dele quando começou a se relacionar com a Caroline — que, aliás, me surpreendeu um pouco. Ela parecia a tipica patricinha metida a gostosona, mas acabou se mostrando uma manteiga derretida, com mais conteúdo do que aparentava na casca.

Mas aquela Viki, PQP, que vaca! Ainda bem que saiu da série. Era o tipo que pessoa que vivia reclamando da vida, mas movia uma migalha de pao para melhorar. Bem como a mãe, convenhamos. ¬¬ Mas gosto daquela atriz, a Melinda Clarke. Me lembro dela em The O.C. T_T (*momento nostalgia*)

Depois vieram mais personagens... que aliás, já comecei a me sentir meio perdida. Acho que ainda virão muitos personagens novos, não é mesmo? 

Enfim, é uma típica série para adolescentes, e eu já estava prestes a abandonar a série, mas o Damon me conquistou. Eu odiava ele, no inicio, na verdade. Ele era muito mau, e isso me incomodava — não que isso seja uma critica. Acho que a personagem dele foi muito bem escrita. Mas no inicio ele parecia não abrir brecha alguma para mudar de time. Até que, então, os problemas de confiança dele foram amenizando, e me simpatizei mais com ele. E agora sou toda Team Demon. T__T

Bom, agora vou ver a segunda temporada...


Alguém já tinha se dado conta do tamanhão do pescoço da Elena nessa foto abaixo??? Ops, Photoshop? Haiuhauiahi.

Edit: esqueci de falar sobre o Tyler... esse era outro que me dava nos nervos. O gostosão, metido a machão. Eu odiava o jeito que ele tratava a Vicki (por mais que ela merecesse). E achei meio nada a ver como tentaram justificar o comportamento dele com o tratamento que recebia do pai. Tipo... Por que até então não se via nada nesse sentido. O pai dele mal aparecia, e de repente ele está ali, incentivando o guri a bater nos outros. Parece que foi uma ideia instantânea da autora, que simplesmente meteu aquela historia de lobisomem ali...

Outra coisa que eu ia comentar... No início, antes de começar a assistir a série, eu achava que era pura putaria, por causa de algumas imagens divulgadas. Algumas cenas em que a Elena e a Caroline aparecem apenas de sutiã, me pareceu meio gratuitas...apenas para chamar o público masculino.


Eu ainda não sei se gosto ou não da Elena. Ela me parece como todas as mocinhas de todos os livros desse gênero que eu li. Uma frangote de 16 anos, metida a adulta e metida a corajosa, mesmo sabendo que está lidando com seres infinitamente mais fortes do que ela! ¬¬ Tipo, não faz muito sentido... E se tu reparar bem, nas primeiras temporadas, pelo menos, a atriz não sabe diferenciar muito as duas personagens que ela interpreta. Elas não muito diferentes uma da outra. Repare nos gestos das duas. 

E o cara que faz o Damon tem uns cacoetes com os olhos muito chato...mas acho que é algum lance dele para o personagem, pq eu lembro bem dele em Lost, e ele não era assim... Já o Stefan, é meio bundão, mas gosto as pequenas tiradinhas de badboy dele. Ah, sei lá, ele é meigo, mas não chega a ser meloso como o Edward de Crepúsculo.





domingo, 13 de janeiro de 2013

O poder da Vírgula


























Tim Flach e seus modelos


terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Dia do Leitor




























Ah, acho que não cheguei a tempo, mas antes tarde do que nunca: FELIZ DIA DO LEITOR a todos  nós! XD

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

As Aventuras de Pi




FICHA TÉCNICA
Diretor: Ang Lee
Elenco: Suraj Sharma, Irrfan Khan, Gérard Depardieu, Suraj Sharma, Adil Hussain, Ayush Tandon
Produção: Ang Lee, Gil Netter, David Womark
Roteiro: David Magee, baseado na novela Yann Martel
Fotografia: Claudio Miranda
Trilha Sonora: Mychael Danna
Duração:129 min.
Ano: 2012
País: EUA
Estúdio: Fox 2000 Pictures / Rhythm and Hues



SINOPSE: A história de um menino indiano chamado Pi (Suraj Sharma/ Irrfan Khan), filho de um tratador de zoológico, que se encontra na companhia de uma hiena, uma zebra, um orangotango e um tigre de bengala, depois de um naufrágio que os deixa à deriva no Oceano Pacífico.







Esse aí foi o meu ingresso :D Se alguém aqui ainda não viu o filme e não quiser spoilers, recomendo não ler meus comentários a seguir.
Bom, esse foi o primeiro cinema do ano, e posso dizer com orgulho que comecei muito bem! Fui com o namorado na sessão das 19hr, no shopping Iguatemi, para vermos o filme. Fiquei sabendo dele pela minha irmã, que é meio fanática por animais, e comentou sobre o trailer dele comigo. Aliás, esse trailer é bem enigmático, porque mostra muitas cenas bonitas, mas deixa toda a essência do filme de fora.

Tanto que fiquei meio WTF? O.o quando percebi que o filme tratava de questões religiosas, entre outras crenças (percebam que eu não li o livro!), coisas que não mostram em absoluto no trailer.

O inicio dele é meio chato, meio monótono, cheio de explicações sobre o personagem — explicações que mais tarde vemos sua importância para o filme. À primeira instancia, temos o personagem Pi adulto, muito bem de vida, recebendo um escritor que pretende contar a sua história. Então, é assim que o filme funciona, entre cenas incríveis, e explicações sobre o passado. Logo de início, ele explica o mistério que ronda sobre o seu nome. Piscine Molitor Patel se justificará de modo bem divertido ao longo do filme a sua incomum origem. E então, adentramos mais a fundo no passado de Pi. Logo ele se declara indiano de origem e formação, católico porque gostou simpatizou com a história de Cristo, o homem inocente que se sacrifica pelo erros dos outro, e finalmente muçulmano por graças de Ala. Essa parte me lembra um pouco outro livro que li, ha alguns anos. A viagem de Theo — um garoto que viajas pelas principais cidades religiosas do mundo inteiro, em busca do aprendizado religioso, e que queria entender mais sobre a fé. E essa filme carrega sempre esse teor religiosos, mostrando sua fé em Deus...

Enfim, continuando as explicações sobre seu passado, vemos que o menino é filho dos donos de um zoológico, na Índia, e que por causa das dificuldades financeiras eles vendem o zoológico e decidem se mudar para o Canadá. A viagem é feita por um cargueiro que também transporta a grande maioria dos animais — que seriam vendidos por um valor mais alto na America. Durante o percurso, então, o cargueiro mergulha numa tempestade que encanta Pi — já adolescente. É engraçado (no sentindo da ironia) como ele se encantou com aquela torrente de água que caía, e que essa mesma tempestade encantadora provoca o acidente no navio, fazendo-o perder os pais. Mas poesia à parte, Pi consegue sobreviver em um barco salva-vidas, para logo descobrir que terá que dividir o pequeno espaço com uma zebra, um orangotango, uma hiena e um tigre de bengala chamado Richard Parker, o qual vai aos poucos pondo fim à vida dos outros animais que estão ali.

Só então é que a ação realmente inicia, esquentando o filme e as expectativas. Entre belíssimas cenas em alto-mar, temos mais algumas explicações de Pi adulto... E lá temos um jovem no meio do mar, completamente sozinho com um tigre. As cenas são praticamente todas de tirar o fôlego. As fotografias são impecáveis (como de se esperar da direção de um chinês!).

A trama é complexa, talvez polêmica em alguns aspectos, e justamente pelo seu valor religioso. Enquanto temos a tragédia desenrolando — onde temos Pi tentando marcar seu território, domar a fera, nutrir-se com o mínimo, e cercado por um mundo hostil (peixes estranhos, tubarões, águas-vivas) — Pi invoca com frequência a Deus. Apesar de eu não ser religiosa, eu achei muito legal essa questão, porque é real, é poético, é trágico, é mágico, e passível a muitas discussões. As cenas, o cenário, os animais e a música, tudo evoca essa atmosfera meio mítica, misteriosa, e ao mesmo tempo assustadora.


E para fechar com chave de ouro, o autor nos deixar com aquela dúvida: o que foi verdade e o que não foi? Devemos acreditar em histórias comuns, ou em nossos sonhos de criança? Por que, de certa forma, aquilo tudo pode ter sido sua maneira de superar sua tragédia, né?

Só posso dizer que agora fiquei com mais medo ainda de entrar no mar! T__T iuahiauhui. Ah, uma curiosidade interessante, é que o ator não ficou em momento algum sozinho com o tigre. O verdadeiro animal apenas foi solto nas cenas em que ficou na água. Mais de 50% do filme foi feito em CG. :)



Inspiração #13


domingo, 6 de janeiro de 2013

Acumulos

É tão injusto isso! São tantos livros para ler, e tão pouco tempo pra embarcar nessas histórias... Eu deveria parar de comprar livros, mas a cada capa linda que vejo, fico louca pra comprar e vou só acumulando livros na estante. ¬¬

Falando nisso, uma vez li um comentário do Paulo Coelho que gostei muito. Era algo mais ou menos assim: "Do que adianta acumular livros numa estante, só para exibir o que tem ou lê? O que realmente importa é o conhecimento adquirido com essas obras, e esse não se exibe em estante alguma. Quando termino de ler algum livro, passo ele adiante dando oportunidade a outros que não tem." E acho que ele ainda disse que na casa dele não se acha livro algum.

Eu concordo. Faz sentido. É uma ação bonita, mas... FODA-SE! AMO MEUS LIVROS NA MINHA ESTANTEEEE!!!! T___T Eu sou uma pessoa materialista, infelizmente, e eu sei disso. Gostaria de ser menos apegada as coisas, mas não sou, fazer o quê?

Enfim, acho que, de todos os livros que tenho, esse é o que tem a capa mais bonita. *_*
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...